Acometimento ocular da doença de Lyme

Atualizado: 9 de Dez de 2019

Embora as manifestações oculares da doença de Lyme sejam observadas há muito tempo, elas continuam sendo uma característica rara da doença. A espiroqueta invade o olho cedo e permanece adormecida, respondendo por manifestações oculares iniciais e tardias. Uma conjuntivite inespecífica ocorre em aproximadamente 10% dos pacientes com doença de Lyme precoce. A ceratite (inflamação na córnea, a camada transparente que protege os olhos) ocorre frequentemente alguns meses após o início da doença e é caracterizada por opacidades circulares sem manchas. Síndromes inflamatórias, como vitrite e uveíte (inflamação da úvea, a camada média do globo ocular), foram relatadas; em alguns casos, é necessária uma punção vítrea (punção para colher amostras do liquido que preenche o olho) para o diagnóstico. As manifestações neuro-oftálmicas incluem neurorretinite, envolvimento de múltiplos nervos cranianos, atrofia óptica e edema do disco óptico. A paralisia facial pode levar à ceratite também. Os critérios para estabelecer que os achados oculares podem ser atribuídos à doença de Lyme incluem a falta de evidência de outra doença, outros achados clínicos consistentes com a doença de Lyme, ocorrência em pacientes que vivem em uma área endêmica, sorologia positiva e, na maioria dos casos, resposta ao tratamento. O manejo das manifestações oculares geralmente requer terapia intravenosa.


Sintomas comuns do acometimento ocular da Doença de Lyme

Olhos Vermelhos

Dor ocular ou inchaço ao redor dos olhos

Conjuntivite

Moscas volantes - pontos que se movem na linha de visão

Sensibilidade à luz

Mudanças de visão

Visão dupla ou embaçada


126 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo